Dia 26 de novembro de 2014 a Roda de Capoeira recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, o qual abrange expressões de vida e tradições de toda parte do mundo que ancestrais passam para seus descendentes. A prática cultural afro-brasileira reúne-se agora ao Samba de Roda do Recôncavo Baiano (BA), à Arte Kusiwa- Pintura Corporal (AP), ao Frevo (PE) e ao Círio de Nazaré (PA), também reconhecidos.

 

O Grupo Nós do Morro há anos utiliza a Roda de Capoeira como elemento de sua pesquisa de linguagem cênica. Da mesma forma, estimula a difusão desta manifestação e outras tradições presentes na cultura afrodescendente e popular apoiando a realização da oficina Afro em Nós dos professores Messias Freitas, Gargamel e Eliete Miranda.

 

Conheça mais sobre o processo de reconhecimento da Roda de Capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade na matéria do site do Ministério da Cultura.

Voar para um sonho aparentemente impossível. Cico Caseira, ator e diretor, propõe ao público "superar limites" e entregar-se ao sabor do risco. 

 

“Beleza da Loucura” apresenta textos de autores clássicos e contemporâneos que falam sobre possibilidades. O espetáculo valoriza o ofício do ator e leva o público a fazer uma reflexão sobre nosso tempo. Foi apresentado no Retiro dos Artistas, no Espaço Caixa preta, em 2007, e também no Tablado, em janeiro de 2009.

 

 

Cico Caseira iniciou seus estudos em 1983, no Teatro Tablado. Desde 2010 é professor de interpretação no Grupo Nós do Morro.

 

Serviço:

A Beleza da Loucura

Direção e atuação: Cico Caseira

 
Dia/horário:
 
Dias 29 e 30 de Novembro - Sábado e Domingo às 20 horas
 

Local

Teatro do Vidigal - Rua Dr. Olinto de Magalhães, 16 - fundos da Escola Almirante Tamandaré
 
 
Classificação indicativa: 14 anos
 
 
 
Lotação do espaço: 50 lugares (procure chegar com antecedência de 30 minutos)

Quem sempre liga e envia e-mails dizendo que gostaria de conhecer o Nós do Morro, taí mais uma oportunidade.

 

Venham hoje participar do Cine Nós do Morro edição especial de fim de ano!

 

Classificação indicativa: 16 anos.

O Nós do Morro teve momentos muito importantes em sua trajetória. Um deles foi o processo artístico em 2005 e 2006 em parceria com a Royal Shakespeare Company que resultou na primeira montagem de "Os Dois Cavalheiros de Verona" encenada pelo grupo e bem recebida nos palcos do Reino Unido.

 

Parte deste processo pode agora ser pesquisada no MIT Global Shakespeares, um arquivo de vídeos e performances que inclui um catálogo de 397 produções, 75 video-clipes e mais de 30 vídeos. É um projeto colaborativo que dá acesso on-line para performances de Shakespeare de diferentes partes do mundo, bem como ensaios e meta dados fornecidos por estudiosos e educadores. Se destina a promover a cooperação cultural e servir como um recurso fundamental para estudantes, professores e pesquisadores.

 

Para acessar os vídeos, é necessário ter instalado o Quick Time Player em seu computador, smartphone ou tablet.

 

Assista a primeira montagem de "Os Dois Cavalheiros de Verona".

O Nós do Morro preparou uma programação de atividades artísticas especial para este fim de semana.

 

Sexta-feira 07/11 às 19h tem leitura dramatizada “Chapeuzinho Vermelho”, texto adaptado por Maria Clara Machado, com direção artística do idealizador e fundador do Nós do Morro Guti Fraga. Esta ação cultural faz parte do “Nós dos Livros”, projeto aprovado no edital de seleção pública “Prêmio de Apoio às Bibliotecas Comunitárias e Pontos de Leitura” da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Federal, vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), com sede no Rio de Janeiro. Entrada grátis!!!

 

Sexta-feira 07/11 às 22h tem “Serve Serve-se”, novo show de Marcello Melo, ator e integrante do Grupo Nós do Morro, uma forma de expressar sua poesia, suas composições, suas histórias de vida na arte, e vida pessoal, tudo com um toque de bom humor e versatilidade. Pague quanto vale!

 

Sábado 08/11 às 21h tem o exercício musical “Orfeu da Conceição”, baseado no texto da peça homônima de Vinícius de Moraes. Influenciado por incursões nos morros, terreiros de candomblé e escolas de samba, Vinicius de Moraes iniciou sua aproximação da realidade afro-brasileira e teve a ideia em 1942 de transpor o mito grego de Orfeu para uma favela carioca. Sua ideia tornou-se um espetáculo que estreou no dia 25 de setembro de 1956 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Entrada R$2,00.

 

Domingo 09/11 às 20h tem a peça “Amores” com o grupo de teatro “Os Arteiros”, da Cidade de Deus. A peça traz cenas nas quais os jovens atores interpretam textos cômicos e dramáticos escritos por eles próprios, para representar as milhares de possibilidades de sentir e falar sobre o amor. Entrada R$2,00.

 

#vemparaoteatrodovidigal neste fim de semana!

Apresentação do trabalho em movimento dos alunos da "Oficina de Contação de Histórias".

 

Orientação: Matheus Foster e Renata Andrade.

Pequenos e Grandes Gestos de Despedida é um monólogo com atuação de Georgiana Góes, com supervisão de Marcus V. Faustini e com direção de Luiz André Alvim. A peça fala sobre o amor, os caminhos e descaminhos das relações amorosas, de forma original misturando ficção e realidade.

 

 

Duas 2 sessões no Teatro do Vidigal: 19:00 e 20:30.

 

Conheço o blog do projeto http://pequenosegrandesgestos.wordpress.com/

Dia 1º de novembro, sábado, às 19h, convidamos você para um encontro com o mundo de Maria Clara Machado. Venha ao Teatro do Vidigal (Rua Doutor Olinto de Magalhães, 16, Vidigal, Rio de Janeiro) e assista a leitura de A MENINA E O VENTO com Hanna Guimarães Juliana Melo , Vinicius Alexandre Ttk ,Gizela Mascarenhas , Flavia Eloah Barsan , Tom Rodrigues , Tatiana Duarte , Marcos Junqueira e Luciano Vidigal.

Influenciado por incursões nos morros, terreiros de candomblé e escolas de samba, Vinicius de Moraes iniciou sua aproximação da realidade afro-brasileira e teve a ideia em 1942 de transpor o mito grego de Orfeu para uma favela carioca. Sua ideia tornou-se um espetáculo que estreou no dia 25 de setembro de 1956 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Oscar Niemeyer fez os cenários, Carlos Scliar e Djanira fizeram os cartazes, o Teatro Experimental do Negro de Abdias Nascimento forneceu os atores para o elenco, como o próprio Abdias, além de Haroldo Costa, Ademar Pereira da Silva, Ruth de Souza entre outros.

 

A peça "Orfeu da Conceição" foi a primeira vez, na história do Teatro Municipal, que atores negros pisaram em seu palco. Saiba mais.

 

Em abril de 2014, o grupo Nós do Morro fez uma homenagem ao poeta e a cultura afro-brasileira através da leitura dramatizada de "Orfeu da Conceição" que foi apresentada na programação do "projeto "100 anos Vinicius de Moraes", na Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro. A homenagem continua, agora no Vidigal, um dos bairros que mais expressa o gosto do carioca pelo teatro, pela música e pelas artes e que inspirava o querido poeta. Conheça a poesia "Balada na praia do Vidigal".

 

A leitura dramatizada, marcada pela forte afinidade do Nós do Morro com a linguagem musical, com direção de Fernando Mello da Costa, elenco formado pelos atores Camillo Oliveira, Cida Costa, Flávio Mariano, Gizela Mascarenhas, Helio Rodrigues, Hugo Alves, Juliana Melo, Kizi Vaz, Lorena Baesso, Luis Rodriguez, Marcello Melo, Nino Batista, Renan Monteiro, Samuel Melo, Sandro Mattos, Tatiana Delfina e Vanessa Aragão e participações especiais de Alexis Abrahan e Max André.

 

Sinopse

 

Orfeu, um sambista que vive no morro, apaixona-se por Eurídice. A paixão desperta o ciúme e o desejo de vingança em Mira, ex-namorada do sambista, que leva Aristeu, apaixonado por Eurídice, a matá-la. Numa terça-feira, último dia de Carnaval, Orfeu desce do morro e vai até o Clube Os Maiorais do Inferno depois de Eurídice estar morta. Já ensandecido, ele vai procurar Eurídice para ver sua amada, tentar encontrá-la novamente. De volta à favela, solitário, ele é morto por Mira e pelas outras mulheres açuladas por ela.

 

Serviço

Leitura Dramatizada "Orfeu da Conceição", uma homenagem a Vinicius de Moraes

 

Dia/horário:

31 de outubro às 21h

 

Local

Teatro do Vidigal - Rua Dr. Olinto de Magalhães, 16 - fundos da Escola Almirante Tamandaré

 

Classificação indicativa: 12 anos

Ingresso colaborativo: R$ 2,00

Lotação do espaço: 50 lugares (procure chegar com antecedência de 30 minutos)

O grupo de teatro “Os Arteiros”, da Cidade de Deus, volta aos palcos do Teatro do Vidigal para apresentar o espetáculo #Amores dias 25 e 26 de outubro (sábado e domingo) às 20h.

 

A peça traz cenas nas quais os jovens atores interpretam textos cômicos e dramáticos escritos por eles próprios, para representar as milhares de possibilidades de sentir e falar sobre o amor. 

 

O grupo é composto por 60 crianças e adolescentes, com idades entre 7 e 15 anos, todas moradoras da Cidade de Deus. Eles aprendem arte cênica e têm aulas de canto, percussão, violão e ioga. A apresentadora Fernanda Lima já esteve na sede dos Arteiros para dar aulas de ioga para as crianças. A atriz Dira Paes é a madrinha do grupo.

 

Serviço:

Espetáculo #Amores

Direção Ricardo Fernandes 

Sábado (25) e Domingo (26) de outubro às 20h

Teatro do Vidigal: Teatro do Vidigal - Doutor Olinto de Magalhães, 16

Entrada R$ 2,00.

Patrocínio

logo petrobras

Sobre o Nós do Morro

mod sobre nos

O Nós do Morro foi fundado em 1986, com o objetivo de criar acesso à arte e à cultura para as crianças, jovens e adultos do Morro do Vidigal. Hoje, o projeto se consolidou e oferece... Leia mais.

Memorial

mod memorial fred

Fred Pinheiro surgiu na nossa vida em 1986. Convidado pelo amigo Guti Fraga, ele subiu o Morro do Vidigal para ajudar a fundar o Nós do Morro. Naquele tempo, aliás, nem éramos Nós do Morro ainda... Leia mais.

Buscar no site

Cadastre-se