O Nós do Morro preparou uma programação de atividades artísticas especial para este fim de semana.

 

Sexta-feira 07/11 às 19h tem leitura dramatizada “Chapeuzinho Vermelho”, texto adaptado por Maria Clara Machado, com direção artística do idealizador e fundador do Nós do Morro Guti Fraga. Esta ação cultural faz parte do “Nós dos Livros”, projeto aprovado no edital de seleção pública “Prêmio de Apoio às Bibliotecas Comunitárias e Pontos de Leitura” da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Federal, vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), com sede no Rio de Janeiro. Entrada grátis!!!

 

Sexta-feira 07/11 às 22h tem “Serve Serve-se”, novo show de Marcello Melo, ator e integrante do Grupo Nós do Morro, uma forma de expressar sua poesia, suas composições, suas histórias de vida na arte, e vida pessoal, tudo com um toque de bom humor e versatilidade. Pague quanto vale!

 

Sábado 08/11 às 21h tem o exercício musical “Orfeu da Conceição”, baseado no texto da peça homônima de Vinícius de Moraes. Influenciado por incursões nos morros, terreiros de candomblé e escolas de samba, Vinicius de Moraes iniciou sua aproximação da realidade afro-brasileira e teve a ideia em 1942 de transpor o mito grego de Orfeu para uma favela carioca. Sua ideia tornou-se um espetáculo que estreou no dia 25 de setembro de 1956 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Entrada R$2,00.

 

Domingo 09/11 às 20h tem a peça “Amores” com o grupo de teatro “Os Arteiros”, da Cidade de Deus. A peça traz cenas nas quais os jovens atores interpretam textos cômicos e dramáticos escritos por eles próprios, para representar as milhares de possibilidades de sentir e falar sobre o amor. Entrada R$2,00.

 

#vemparaoteatrodovidigal neste fim de semana!

Apresentação do trabalho em movimento dos alunos da "Oficina de Contação de Histórias".

 

Orientação: Matheus Foster e Renata Andrade.

Pequenos e Grandes Gestos de Despedida é um monólogo com atuação de Georgiana Góes, com supervisão de Marcus V. Faustini e com direção de Luiz André Alvim. A peça fala sobre o amor, os caminhos e descaminhos das relações amorosas, de forma original misturando ficção e realidade.

 

 

Duas 2 sessões no Teatro do Vidigal: 19:00 e 20:30.

 

Conheço o blog do projeto http://pequenosegrandesgestos.wordpress.com/

Dia 1º de novembro, sábado, às 19h, convidamos você para um encontro com o mundo de Maria Clara Machado. Venha ao Teatro do Vidigal (Rua Doutor Olinto de Magalhães, 16, Vidigal, Rio de Janeiro) e assista a leitura de A MENINA E O VENTO com Hanna Guimarães Juliana Melo , Vinicius Alexandre Ttk ,Gizela Mascarenhas , Flavia Eloah Barsan , Tom Rodrigues , Tatiana Duarte , Marcos Junqueira e Luciano Vidigal.

Influenciado por incursões nos morros, terreiros de candomblé e escolas de samba, Vinicius de Moraes iniciou sua aproximação da realidade afro-brasileira e teve a ideia em 1942 de transpor o mito grego de Orfeu para uma favela carioca. Sua ideia tornou-se um espetáculo que estreou no dia 25 de setembro de 1956 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Oscar Niemeyer fez os cenários, Carlos Scliar e Djanira fizeram os cartazes, o Teatro Experimental do Negro de Abdias Nascimento forneceu os atores para o elenco, como o próprio Abdias, além de Haroldo Costa, Ademar Pereira da Silva, Ruth de Souza entre outros.

 

A peça "Orfeu da Conceição" foi a primeira vez, na história do Teatro Municipal, que atores negros pisaram em seu palco. Saiba mais.

 

Em abril de 2014, o grupo Nós do Morro fez uma homenagem ao poeta e a cultura afro-brasileira através da leitura dramatizada de "Orfeu da Conceição" que foi apresentada na programação do "projeto "100 anos Vinicius de Moraes", na Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro. A homenagem continua, agora no Vidigal, um dos bairros que mais expressa o gosto do carioca pelo teatro, pela música e pelas artes e que inspirava o querido poeta. Conheça a poesia "Balada na praia do Vidigal".

 

A leitura dramatizada, marcada pela forte afinidade do Nós do Morro com a linguagem musical, com direção de Fernando Mello da Costa, elenco formado pelos atores Camillo Oliveira, Cida Costa, Flávio Mariano, Gizela Mascarenhas, Helio Rodrigues, Hugo Alves, Juliana Melo, Kizi Vaz, Lorena Baesso, Luis Rodriguez, Marcello Melo, Nino Batista, Renan Monteiro, Samuel Melo, Sandro Mattos, Tatiana Delfina e Vanessa Aragão e participações especiais de Alexis Abrahan e Max André.

 

Sinopse

 

Orfeu, um sambista que vive no morro, apaixona-se por Eurídice. A paixão desperta o ciúme e o desejo de vingança em Mira, ex-namorada do sambista, que leva Aristeu, apaixonado por Eurídice, a matá-la. Numa terça-feira, último dia de Carnaval, Orfeu desce do morro e vai até o Clube Os Maiorais do Inferno depois de Eurídice estar morta. Já ensandecido, ele vai procurar Eurídice para ver sua amada, tentar encontrá-la novamente. De volta à favela, solitário, ele é morto por Mira e pelas outras mulheres açuladas por ela.

 

Serviço

Leitura Dramatizada "Orfeu da Conceição", uma homenagem a Vinicius de Moraes

 

Dia/horário:

31 de outubro às 21h

 

Local

Teatro do Vidigal - Rua Dr. Olinto de Magalhães, 16 - fundos da Escola Almirante Tamandaré

 

Classificação indicativa: 12 anos

Ingresso colaborativo: R$ 2,00

Lotação do espaço: 50 lugares (procure chegar com antecedência de 30 minutos)

O grupo de teatro “Os Arteiros”, da Cidade de Deus, volta aos palcos do Teatro do Vidigal para apresentar o espetáculo #Amores dias 25 e 26 de outubro (sábado e domingo) às 20h.

 

A peça traz cenas nas quais os jovens atores interpretam textos cômicos e dramáticos escritos por eles próprios, para representar as milhares de possibilidades de sentir e falar sobre o amor. 

 

O grupo é composto por 60 crianças e adolescentes, com idades entre 7 e 15 anos, todas moradoras da Cidade de Deus. Eles aprendem arte cênica e têm aulas de canto, percussão, violão e ioga. A apresentadora Fernanda Lima já esteve na sede dos Arteiros para dar aulas de ioga para as crianças. A atriz Dira Paes é a madrinha do grupo.

 

Serviço:

Espetáculo #Amores

Direção Ricardo Fernandes 

Sábado (25) e Domingo (26) de outubro às 20h

Teatro do Vidigal: Teatro do Vidigal - Doutor Olinto de Magalhães, 16

Entrada R$ 2,00.

O novo show de Marcello Melo é um cardápio repleto.


A proposta é que o público escolha antes do espetáculo o que deseja assistir, dentre músicas, poesias e histórias.


Marcello Melo, ator e integrante do Grupo Nós do Morro há 19 anos, encontra nesse show uma forma de expressar sua poesia, suas composições, suas histórias de vida na arte, e vida pessoal, tudo com um toque de bom humor e versatilidade.

 

Sirvam-se!



ENTRADA GRATUITA

SERVE SERVE - SE À LA CARTE
PRATO DO DIA
SOBREMESA


Abertura: 22:00

ATRAÇÃO SURPRESA (Sempre uma banda ou músico convidado abrem os trabalhos).


DIREÇÃO - Jr. Ramos e Marcello Melo
ELENCO - Marcello Melo , Bruno Barboza
LUZ - Kizivaz 
PRODUÇÃO - Jr. Ramos

Temos recebidos vários telefonemas da imprensa buscando informações sobre o ator Max do Nascimento Andrade, devido ao fato de estar sendo veiculado notícias sobre agressão sofrida e por ser citado como ator do Grupo Nós do Morro.

 

Assim, vimos através desta nota esclarecer que o Max do Nascimento Andrade participou de oficinas do Grupo Nós do Morro em 2010, mas não faz parte do atual núcleo de atores de nossa companhia.

 

Independente disso, lamentamos o fato ocorrido, torcemos por sua rápida recuperação e desejamos que a cidade do Rio de Janeiro se torne um espaço de convívio mais fraterno e de respeito à diversidade para todos.

Dia 30 de setembro a Companhia do Chapitô esteve no Teatro do Vidigal apresentando o espetáculo "Édipo". Este importante intercâmbio cultural entre o Nós do Morro, a comunidade do Vidigal e a Cia do Chapitô iniciou em 1998.

 

Quem tiver interesse em assistir o espetáculo, ele vai estar em cartaz até 05 de outubro na Caixa Cultural.

 

Release do espetáculo

 

Dúvidas cruéis rondam a montagem de Édipo:seria Édipo o marido da sua própria mãe ou filho de sua mulher? E os seus filhos, seriam também eles seus irmãos, filhos de sua mulher ou seria a sua mulher avó dos seus próprios filhos? E ainda, seria Creonte seu tio ou seu cunhado? Pelas lentes do humor a Cia do Chapitô mostra em nova temporada no Brasil, com patrocínio da CAIXA CULTURAL, a comédia Édipo, que já fez 13 temporadas anteriores no país. Aos 18 anos, a companhia – fundada como parte das atividades da ONG homônima criada em 1981 – reafirma sua opção por valorizar o poder questionador do riso, sempre com base num profundo trabalho corporal dos atores.

 

A partir desta premissa, a Companhia do Chapitô vem construindo seu repertório de 32 espetáculos assistidos por 250 mil espectadores mundo afora, em mais de 190 cidades de 13 países. Quem responde por parte do sucesso é o inglês John Mowat, na companhia quase desde sua fundação, que desenha a encenação, além de dividir a direção artística com José Carlos Garcia. Já criou mais de 20 espetáculos, entre eles Don Quixote, O Grande Criador, A Tempestade, Cão que morre não ladra e Édipo. De 2 a 5 de outubro o grupo se apresenta na Caixa Cultural do Rio de Janeiro e segue para Curitiba para exibições de 10 a 12 do mesmo mês.

 

Assim como a Companhia do Chapitô, que já visitou o país diversas vezes, John Mowat tem estabelecido uma forte relação de criação com o Brasil. Atualmente, Mowat dirige os ensaios do espetáculo Celebração da Realidade (elaborado a partir de contos de Eduardo Galeano), da companhia paulistana Teatro de Senhoritas.

 

Leia mais (clique abaixo ao lado de "comentários" em "continuar lendo")

 

 

[Foto: Bruno Veiga]

 

Tudo começou com um sonho. Em plena efervescência cultural no Rio de Janeiro dos anos 80, o ator e diretor Guti Fraga pensou em criar um grupo que pudesse tornar possível aos jovens da comunidade do Vidigal desenvolver seus talentos artísticos. A proposta era simples: formar atores, técnicos e apresentar a magia do teatro para os moradores de uma comunidade que não tinha acesso à arte.

 

Guti compartilhou esse sonho com seus amigos, o iluminador Fred Pinheiro, o jornalista Luiz Paulo Corrêa e Castro e o cenógrafo Fernando Mello da Costa, que acreditaram na proposta. Então, em 1986, surgiu o Grupo Nós do Morro. Nos anos seguintes, a professora Zezé Silva e inúmeras outras pessoas do Rio de Janeiro e de outros países passaram a compartilhar o sonho.

 

Em 28 anos de atividade, passaram pelas atividades do Nós do Morro mais de 12.000 pessoas (do Vidigal, da cidade e de municípios do Rio de Janeiro, municípios de outros estados brasileiros e no Reino Unido), produziu 100 práticas de montagem, 20 espetáculos profissionais, criou um Núcleo de Audiovisual, fez 6 curta-metragens, formou técnicos e inseriu atores em mais de 100 novelas, seriados e filmes, foi objeto de várias pesquisas acadêmicas, documentários e recebeu mais de 50 premiações, entre elas a Menção Honrosa da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura do Brasil.

 

Tudo isso só foi possível porque no Nós do Morro tudo foi e é construído em parceria. As realizações deste 28 anos são fruto de parcerias de cooperação internacional (União Européia, Royal Shakespeare Company, People´s Palace Projects, Paul Heritage, Governo da França), parcerias com Governo Federal (Ministério da Cultura, Funarte, Programa Cultura Viva, Ministério das Relações Exteriores, BNDES, Furnas Centrais Elétricas S.A., Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Programa de Aceleração do Crescimento), governo do Estado do Rio de Janeiro (Secretaria de Estado da Cultura, Secretaria de Ação Social, Secretaria de Administração Penitenciária), Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro (Secretaria Municipal de Cultura, Rioarte, RioFilme,Lei Municipal de Incentivo à Cultura, Fundo Municipal de Apoio ao Teatro, Programa de Fomento a Cultura Carioca, Secretaria de Educação, Instituto Pereira Passos e Programa UPP Social), instituições atuantes em favelas (Central Única das Favelas – CUFA, AfroReggae, Observatório de Favelas), instituições culturais (Centro Cultural dos Correios, Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), SATED RJ, SESC Rio, SESC RS, SESC São Paulo, Instituto Itaú Cultural (SP), Associação Brasileira de Curtametragistas, Centro Tecnológico de Audiovisual de Niterói), prefeituras (Campos de Goytacazes (RJ), Macaé (RJ), Cabo Frio (RJ), Caxias (RJ), Curitiba (PR), Brasília (DF), São Leopoldo (RS), Pelotas (RS), Porto Alegre (RS), Novo Hamburgo), escolas (Colégio São Vicente de Paulo, Colégio São Bento, Escola Municipal Almirante Tamandaré, Escola Stella Maris), universidades e faculdades (Universidade Federal Fluminense, UniRio), organizações comunitárias (Associação de Moradores da Vila do Vidigal, Fórum Intersetorial do Vidigal, Posto de Saúde Adolpho Perissé, Rádio Comunitária Estilo Livre, Associação de Mulheres de Ação e Reação, Instituto Todos na Luta, VDG TV, Bloco Acadêmicos do Vidigal), instituições de ensino de idiomas (Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa, Aliança Francesa, Francês Objetivo), instituições de saúde (Médicos Solidários), instituições de esporte (Volei do Betinho), empresas (TV Globo, Canal Multishow, Canal Futura, Canal Brasil, Vulcabrás Azaleia, Gravadora Warner, Editora Record, Vezpa Pizzas, Supermercado Super Rede, comércio local do Vidigal), produtoras de cinema (Luz Mágica Produtora, Cacá Diegues, Rosane Svartmann e Vinicius Reis, Cavideo, Cinema Nosso, Berny Filmes, Link Digital), Terceiro Setor (Onda Solidária, Turma do Bem) e instituições de apoio a criança e ao adolescente.

 

Em tantos anos trabalhando de forma coletiva com tanta gente, podemos ter cometido o lapso de não citar algum nome de pessoa ou instituição, mas estamos cientes que cada uma de nossas realizações foi feita com a garra, talento, vibração e dedicação de todas as pessoas citadas e não citadas.

 

A todas instituições e pessoas, citadas ou não citadas, o nosso agradecimento pela grandeza de terem partilhado momentos de sua vida, para que o sonho se tornasse realidade. Sem elas, o Nós não teria sido possível.

 

Em especial, agradecemos ao idealizador Guti Fraga, aos fundadores, aos moradores do Vidigal e a todos que trabalharam para que o Nós do Morro possa cumprir com sua missão de proporcionar acesso à arte.

 

Agradecemos muito também a todos os apoiadores e patrocinadores, em especial a Petrobras por patrocinar o Nós do Morro de 2001 a 2013.

 

10665867 1399025066989114 1100846750936510524 n

 

Convidamos a todos para comemorar nosso aniversário no próximo sábado, dia 27 de setembro, no evento S.U.B.A.!

 

Programação:

 

16h - "SUBA das Crianças" (crianças de todas as idades) com brincadeiras, pula-pula, distribuição de doces, atrações e apresentações das turmas infantis.

 

Entrada gratuita até 20h59.

 

21h SUBA Nós!

Entrada: 

- Inteira R$20,00 

- Nome na lista até 23h59 R$ 10,00

- Nome na Lista após meia-noite R$ 15,00

 

(Entrada e bar, pagamento somente em dinheiro. Bebida alcoólica somente será vendida para maiores de 18 anos).

 

MÚSICA

Pout pourri Musical dos Espetáculos

Choque do Magriça

Juliano DelaGuerra

Conexão RJ 

 

POETAS 

Sheyla de Castilho 

# Poesia de Facebook # Flávia Coutinho 

Mano Melo 

Tavinho Paes

Kyvia Rodrigues

Poesia Haicai Combat

Bayard Tonelli

 

HUMOR

Stand Up Comedy Sandro Mattos

Palhaço Mussarella 

 

DJ Allan Feix (da equipe da Pearls Negras)

 

Curadoria imagens de vídeo: Manuele Rosa e Arthur Shermam

 

Moda Arte Katuchita

 

NOSSO BAR Cerveja, Drinks e refrigerantes

 

COMIDINHAS: 

Cozinha do Arrocha - Rafa Antunes

Sorteio de uma Tatoo. http://delaguerratattoostudio.blogspot.com.br/

Patrocínio

logo petrobras

Sobre o Nós do Morro

mod sobre nos

O Nós do Morro foi fundado em 1986, com o objetivo de criar acesso à arte e à cultura para as crianças, jovens e adultos do Morro do Vidigal. Hoje, o projeto se consolidou e oferece... Leia mais.

Memorial

mod memorial fred

Fred Pinheiro surgiu na nossa vida em 1986. Convidado pelo amigo Guti Fraga, ele subiu o Morro do Vidigal para ajudar a fundar o Nós do Morro. Naquele tempo, aliás, nem éramos Nós do Morro ainda... Leia mais.

Buscar no site

Cadastre-se